sábado, 29 de dezembro de 2012

A polícia da ditadura


Reportagem publicada na edição de sexta-feira (28/12) do Estado de S. Paulo, com destaque na primeira página, dá ao fim de ano cores muito sombrias: diz o jornalão que a polícia paulista mata uma pessoa a cada 16 horas, tendo acumulado até novembro passado um total de cadáveres maior do que a mortandade ocorrida em 2006, quando a principal organização criminosa em ação no estado promoveu uma onda de ataques a policiais, instalações oficiais e ônibus.
A reportagem tem números preocupantes: há seis anos, quando a capital paulista e outras cidades foram paralisadas pelos criminosos, 495 pessoas foram mortas em ações policiais. Neste ano, o número de vítimas chegou a 506 até novembro.
O jornal certamente colheu essa estatística ao preparar a retrospectiva do ano que se encerra. Só então seus editores parecem ter despertado para um dos aspectos mais graves da onda de violência que, desde o mês de maio, assusta a população do estado mais rico do país.

Continue lendo no Observatório da Imprensa

Militares são processados pelo assassinato do cantor chileno Víctor Jara

Sete ex-oficiais do exército chileno serão julgados pelo assassinato do cantor Víctor Jara, morto em 16 de setembro de 1973, logo após o golpe de Estado encabeçado pelo ditador Augusto Pinochet. A decisão do juiz especial Miguel Vásquez, da Corte de Apelações de Santiago, envolve oficiais que estavam encarregados das centenas de prisioneiros confinados no Estádio Nacional, na capital chilena.


Confira no Opera Mundi

Egito deve autorizar entrada de material de construção em Gaza


Um comboio de caminhões transportando centenas de toneladas de suprimentos - principalmente cimento e aço - deve entrar no território palestino pela passagem de Rafah.
O material de construção foi doado pelo governo do Qatar.


Mais na BBC Brasil

Corte europeia rejeita caso de 1,8 mil expulsos de arquipélago no Índico

Depois de oito anos de disputa judicial, a Corte Europeia de Direitos Humanos, com sede em Estrasburgo, na França, rejeitou a apelação de 1.786 nativos ou descendentes de nativos das Ilhas Chagos, no Oceano Índico. Eles foram expulsos do arquipélago pelo governo britânico entre 1967 e 1973 para que os EUA montassem uma base militar, em um dos casos mais emblemáticos de abuso de direitos humanos do século 20.


Confira no Opera Mundi

Charge do Bessinha

















Visto no blog BRASIL! BRASIL! (28.12.2012)

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Cartunista Carlos Latuff entra em lista dos “10 maiores antissemitas”


O cartunista brasileiro e militante pela causa palestina Carlos Latuff está na terceira posição da lista do “10 maiores antissemitas”, divulgada nesta quinta-feira (27). A organização judaica Simon Wiesenthal, responsável pela publicação, o colocou nesta posição devido a suas charges críticas à operação Pilar Defensivo, mais recente investida militar israelense na Faixa de Gaza.
(...)
A menção a Latuff é ilustrada por uma charge polêmica, na qual o premiê aparece torcendo o corpo de uma criança palestina em cima de uma urna de votação. A imagem faz referência às possíveis motivações políticas de Netanyahu, em plena campanha para a eleição legislativa marcada para 22 de janeiro, no ataque ao território palestino em novembro deste ano. A charge, no entanto, não tem nenhuma menção à religião judaica.


Confira no Sul21

Professores de Utah são treinados a usar arma após massacre em Newtown


Kasey Hansen, uma professora de educação especial de Salt Lake City, no Estado norte-americano de Utah, disse que levaria um tiro por qualquer um de seus alunos, mas, se estivesse diante de um homem armado ameaçando sua classe, ela preferiria ser capaz de reagir atirando.
Na quinta-feira, ela era um dos 200 professores de Utah que se reuniram em uma arena de esportes para receber instrução sobre o manuseio de armas de fogo, dada por ativistas pró-armas, segundo os quais os educadores armados poderiam ter uma chance de impedir tiroteios fatais e indiscriminados nas escolas.
O evento foi organizado pelo Conselho do Tiro Esportivo de Utah, em resposta aos disparos de um atirador em Newtown, no Estado de Connecticut, este mês, que mataram 20 crianças e seis funcionários da escola Sandy Hook.

Adolescente se suicida após ter sido pressionada pela polícia a abandonar queixa de estupro

Uma adolescente indiana de 17 anos vítima de um estupro coletivo se suicidou depois que policiais a pressionaram a abandonar o caso e a se casar com um de seus agressores, informaram a polícia e parentes nesta quinta-feira (27/12).

Em meio a mobilizações sobre o estupro coletivo de uma outra estudante em um ônibus em Nova Délhi no começo desse mês, que gerou protestos e confrontos por todo o país, este caso colocou novamente em evidência o modo como a polícia lida com crimes sexuais.


Confira mais no Opera Mundi

PM de São Paulo mata um a cada 16h, mais do que em 2006

Policiais militares mataram em serviço, entre janeiro e novembro, mais do que em todo o ano de 2006, quando ocorreram os ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC). Em 2012, já são 506 mortos no Estado em confrontos classificados como resistência seguida de morte, ante 495 daquele ano. Em média, a PM mata uma pessoa a cada 16 horas.


Leia mais no UOL Notícias

[Vídeo] Brasil: Taxar os ricos (um conto de fadas animado)

Taxar os ricos: Um conto de fadas animado, é narrado por Ed Asner, com animação de Mike Konopacki. Escrito e dirigido por Fred Glass para a Federação de Professores da Califórnia... de São Paulo...do Brasil...do Neoliberalismo... da Globalização...

Este vídeo de 8 minutos sobre como chegamos a este momento de serviços públicos mal financiados e ampliando a desigualdade econômica.
As coisas vão para baixo numa terra feliz e próspera após os ricos decidirem que não querem pagar mais impostos. Dizem às pessoas que não há alternativa, mas as pessoas não têm assim tanta certeza.
Esta terra tem uma semelhança surpreendente com a nossa terra.

video

Para mais informações, www.cft.org.  

Visto em KAOSENLARED.NET

Brasil: A nova direita. Saudades de 1964

Agrupados no Instituto Millenium, uma Organização Social de Interesse Público - Oscip,a nova direita, capitaneada por grandes conglomerados da mídia nacional e apoiada por empresas nacionais e transnacionais é apresentada na Galeria EXPOBESTAS

Agrupados no Instituto Millenium, uma Organização Social de Interesse Público - Oscip, essa nova direita, capitaneada por grandes conglomerados da mídia nacional e apoiada por empresas nacionais e transnacionais funda os seus princípios na liberdade dos mercados, na defesa da propriedade privada, na resistência a políticas públicas que não se orientam pelo princípio liberal da meritocracia e no medo de um suposto “avanço comunista” personificado no bolivarianismo de Chávez, Rafael Correa e Evo Morales.

Segundo Leandro Fortes, o Instituto é integrado por empresários, executivos, jornalistas, economistas, comentaristas políticos e até humoristas que trabalham para a grande imprensa e destilam um discurso que flerta com o moralismo udenista. O Instituto Millenium, opina o jornalista, criminaliza os movimentos sociais, ataca políticas como as quotas sociais e virou um bunker antiesquerda e principal irradiador do ódio de classe e do ressentimento eleitoral dedicado até hoje ao ex-presidente Lula. 

Vejam o texto completo em KAOSENLARED.NET

Brasil: O ódio da mídia conservadora

Os textos de Demétrio Magnoli, Ricardo Noblat, Merval Pereira, Reinaldo Azevedo, Augusto Nunes, Eliane Catanhede, entre outros, são fontes para as futuras gerações de jornalistas e estudiosos da comunicação entenderem o que Perseu Abramo chamou de “Padrões de Manipulação” na mídia brasileira.

Nunca houve tanto ódio na mídia conservadora do Brasil

Jaime Amparo Alves | No Pragmatismo Político
Os brasileiros no exterior que acompanham o noticiário brasileiro pela internet têm a impressão de que o país nunca esteve tão mal. Explodem os casos de corrupção, a crise ronda a economia, a inflação está de volta, e o país vive imerso no caos moral. Isso é o que querem nos fazer crer as redações jornalísticas do eixo Rio – São Paulo. Com seus gatekeepers escolhidos a dedo, Folha de S. Paulo, Estadão, Veja e O Globo investem pesadamente no caos com duas intenções: inviabilizar o governo da presidenta Dilma Rousseff e destruir a imagem pública do ex-presidente Lula da Silva. Até aí nada novo.
Tanto Lula quanto Dilma sabem que a mídia não lhes dará trégua, embora não tenham – nem terão – a coragem de uma Cristina Kirchner de levar a cabo uma nova legislação que democratize os meios de comunicação e redistribua as verbas para o setor. Pelo contrário, a Polícia Federal segue perseguindo as rádios comunitárias e os conglomerados de mídia Globo/Veja celebram os recordes de cotas de publicidade governamentais. O PT sofre da síndrome de Estocolmo (aquela na qual o sequestrado se apaixona pelo sequestrador) e o exemplo mais emblemático disso é a posição de Marta Suplicy como colunista de um jornal cuja marca tem sido o linchamento e a inviabilização política das duas administrações petistas em São Paulo.  


Vejam o texto completo em KAOSENLARED.NET

Empresário do 'mensalão' nos Correios e no caso Valec aparece nos R$ 16 milhões do Alvaro Dias

 
Agora a casa do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) caiu, e com um empurrãozinho da própria revista Veja (sem querer). 

Vejam mais no blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

RENTISTAS UIVAM LÁ, A MATILHA LATE AQUI


As aplicações do' Sloane Robinson', um dos dez maiores fundos hedge do mundo e dos mais antigos de Londres, vão fechar o ano com saldo de US$ 2,5 bilhões. Em 2008, o fundo especulativo acumulava ativos de US$ 15,1 bilhões. O 'Sloane' esfarela. Sua rentabilidade despencou 17% no ano passado; afundará mais 2%  em 2012. Não é um caso isolado. 

Rentistas de todo o mundo sofrem os reveses  da implosão  neoliberal agravada pelo fim da farra nos países emergentes-- Brasil entre eles. Sua passagem pelo país incluía ganhos triplos: na arbitragem dos juros (maiores aqui, remunerando captações a um custo menor lá fora); na diferença cambial entre a data de ingresso e a da saída, uma vez que o próprio tsunami especulativo forçava a valorização do Real, garantindo conversões vantajosas para o dólar na despedida; e, finamente, na jogatina 'rapidinha' nas bolsas, sem nem dispor de ações próprias, alugando carteiras junto a bancos. 

A obstrução da pista principal do circuito, a dos juros, derrubados a fórceps pelo governo Dilma, melou o resto do passeio, prejudicado ainda pela queda nos mercados acionários.  
  

Vejam mais em CARTA MAIOR

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Hackers invadem site de escola exigindo desculpas por estupro coletivo


Hackers de um grupo identificado como KnightSec, parte do grupo Anonymous, atacaram o site do time de futebol americano de uma escola de Ohio, Estados Unidos, exigindo um pedido público de desculpas pelo ataque a uma menina de 16 anos, que teria sido violentada por jogadores da equipe.
Segundo o site Salon, a página do time Steubenville High School Big Red foi substituída por um vídeo em que um interlocutor com a máscara de Guy Fawkes, característica dos pronunciamentos do Anonymous, ameaçou divulgar informações pessoais de usuários da escola, incluindo nome completo e dados de documentos, caso uma desculpa não fosse divulgada.
(...)
Na semana passada, o jornal New York Times noticiou o ataque ocorrido na pequena cidade de Ohio. Segundo os promotores, uma menina de 16 anos foi violentada em grupo e arrastada para festas durante uma noite inteira. Ela estaria embriagada e inconsciente.
De acordo com o jornal, teriam inclusive urinado na garota.
O caso ganhou visibilidade em redes sociais com oTwitter e Instagram, em que fotos da moça, com dizeres como "estupro" e "garota bêbada" apareciam na descrição. Numa das imagens, ela é carregada por dois jogadores de futebol pelos punhos e pelos tornozelos.

Confira no Terra

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Vanguarda popular: a direita sai do armário (com roupas de esquerda)


A direita se modernizou, essa é a verdade. (“E a esquerda ficou velha”, comenta um amigo, guerrilheiro dos anos 1970.) Helio Beltrão Filho é um importante articulador da aliança de direita no Brasil, mas não é o único a utilizar as mesmas armas da esquerda para outros fins. O Movimento Endireitar, por exemplo, comercializa uma coleção de camisetas com nome muito sugestivo: Vanguarda Popular. Vanguarda Popular Revolucionária é o nome do grupo de guerrilha em que atuou, na juventude, a presidenta Dilma Rousseff. Faz parte da coleção de estampas uma montagem em que um Che Guevara aparvalhado aparece vestindo orelhas de Mickey Mouse. Em outros modelos, há inscrições como Enjoy Capitalism, grafada com as letras da Coca-Cola.
Há dezenas de blogs de direita explícita rolando na internet. Mas o mais importante deles é um portal que se chama Instituto Millenium. É um senhor portal. Perdão, ele não se assume de direita. Mas nem precisava se assumir. O flerte com a direita é explícito. Basta conhecer a lista dos institutos associados, OSCIPs ou ONGs criados depois do Millenium – Movimento Endireita Brasil, Mises Brasil, Instituto Ling, Instituto Liberal, Instituto Liberdade, Instituto de Estudos Empresariais… Dez ao todo. Ou consultar a lista de livros indicados com destaque para Por que Virei à Direita, assinado por Luiz Felipe Pondé, João Pereira Coutinho e Denis Rosenfield. O curioso é que o contraponto a esse lançamento da Editora Três Estrelas (de propriedade do grupo Folha de S. Paulo) – A Esquerda que Não Teme Dizer seu Nome, de Vladimir Safatle da mesma editora – é tacitamente ignorado.

Mensalão: prisão imediata sem justificação concreta é nazismo jurídico

Luiz Flávio Gomes
(jurista e professor, é fundador da Rede de Ensino LFG e diretor-presidente do Instituto Avante Brasil.)

Nos delicados momentos de alto risco para o Estado de Direito e suas garantias todos nós, por mais que nosso espírito esteja carregado de emoção e de ódio contra os fraudadores do dinheiro público e do poder, de sectarismos partidários ou de preconceitos ideológicos, temos que contar até 10, dar espaço para a razão e raciocinar como juristas e cidadãos preocupados com o futuro da nação, não com imediatismos populistas irracionais, típicos da era nazista de Hitler.

Há um livro que todos os acadêmicos e juristas jamais poderiam deixar de ler: Los juristas del horror (de Ingo Müller). Quem lê este livro tem a nítida sensação de que a prisão imediata de qualquer réu no país, antes do trânsito em julgado, como mera antecipação da pena, tal como pediu o procurador-geral, sem a presença dos requisitos da prisão preventiva, pouco importando se o réu é rico ou pobre, petista ou peessedebista, preto ou branco, tem todo sabor de exceção, colocando esse ato do procurador-geral, com todo colorido populista, ao lado dos atos idênticos dos juristas nazistas como Goering, Goebbels, Rosenberg, Himmler, Dahn, Schaffstein, Schmitt, tidos como juristas monstros, guiados pelo fanatismo, demagogia e populismo.


Vejam o texto completo no JORNAL DO BRASIL

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Ataque contra cristãos deixa cinco mortos na Nigéria

Homens armados mataram pelo menos cinco pessoas e deixaram muitas outras feridas em um vilarejo de maioria cristã no norte da Nigéria.


Leia mais na BBC Brasil.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Macapá, uma capital em caos


Inadimplência generalizada, escolas sem professores, profissionais da saúde sem receber, suspeitas de desvio de verbas e ausência do poder do Estado. Os problemas acima poderiam se enquadrar com maior facilidade na realidade de diversas médias e pequenas cidades brasileiras. Mas, na verdade, eles compõem o retrato de uma capital com mais de 400 mil habitantes.
Fincada em uma área de difícil acesso na região amazônica, Macapá se torna quase uma ilha isolada dos grandes centros. Logo, seus problemas também passam despercebidos no restante do Brasil. A capital do Amapá vive uma grave crise de inadimplência em diversos serviços públicos básicos, que se agravou após a derrota do prefeito Roberto Góes (PDT) nas eleições municipais de outubro para Clécio Luís (PSOL).


Leia mais na CartaCapital

Extremistas islâmicos voltam a atacar santuário de Timbuctu, no Mali

O grupo extremista islâmico Ansar Dine (“Defensores da Fé”, em português) voltou a atacar, com machadadas, os mausoléus de Timbuctu, norte do Mali, local tombado como patrimônio mundial da Unesco (Organização das Nações Undas para Educação, Ciência e Cultura). 

De acordo com o líder do grupo, Abu Dardar, o objetivo é destruir todos os mausoléus no país, por não estarem de acordo com a fé islâmica. “Nenhum mausoléu permanecerá de pé em Timbuctu. Alá não gosta deles”, afirmou o líder rebelde à agência de notícias France Presse. “Estamos em processo de destruir todos os mausoléus escondidos nessa área”.


Leia mais no Opera Mundi

Tristes festas para os cristãos da Síria

Os cristãos da Síria, país dilacerado pela violência há mais de 21 meses, se preparam para celebrar o Natal em meio ao medo do caos e da ascensão dos islamitas.


Confira na CartaCapital

Belém festejará primeiro natal como Estado palestino


Belém se prepara na segunda-feira 24 para celebrar o Natal, o primeiro desde que a cidade berço do cristianismo se tornou Patrimônio Mundial e após o reconhecimento da Palestina como Estado observador não-membro na ONU.
O patriarca de Jerusalém, bispo Fouad Twal, a mais alta autoridade católica romana na Terra Santa, fará sua entrada triunfal em Belém, uma região autônoma da Cisjordânia, no início da tarde.
Enquanto isso, tropas de escoteiros palestinos com suas cornetas herdadas do colonialismo britânico (1920-1948) marcharam sob o olhar atento de centenas de turistas em frente à Basílica da Natividade, local do nascimento de Cristo, segundo a tradição.
O cortejo colorido é a oportunidade para a realização de uma grande festa popular palestina na Praça da Manjedoura, no coração de Belém, onde as festividades são a principal atração turística anual da Cisjordânia.
Os palestinos conquistaram uma vitória histórica em junho, com a obtenção do registro da Igreja da Natividade e da rota de peregrinação de Belém como Patrimônio Mundial da Unesco, apesar da oposição de Israel e dos Estados Unidos.
Outra grande conquista diplomática chegou no final de novembro, ao se tornarem um Estado observador não-membro na ONU, em uma votação esmagadora na Assembleia Geral chamada pelo presidente palestino, Mahmoud Abbas, de “ato de nascimento”.


Leia mais na CartaCapital.